Logo do projeto Música no Museu, usado para retornar ao início

HISTÓRIA E MUSEUS

CONSELHO DE HONRA

NOSSOS OBJETIVOS

EXPANSÃO

EDIÇÃO E DISCOGRAFIA

RECORDE PÚBLICO

Iniciado  em dezembro de 1997 no MNBA pelo violonista Turíbio Santos, Música no Museu, tornou-se a maior Serie de musica clássica do Brasil e uma das maiores do mundo reconhecida pelo RankBrasil, a versão brasileira do Guinness Book.  Seus números são impressionantes chegando a fazer cerca  de 500 concertos por ano, de norte a sul do Brasil,  ocupando cerca de 2.500 músicos/ano, além de uma vertente internacional, desde 2006 em cidades de países de todos os continentes: Europa ( Portugal, Espanha, França,  Republica Tcheca,Itália, Alemanha, Áustria,  Américas: USA (inclusive no Carnegie Hall em Nova Iorque e no LACMA em Los Angeles),Chile, Argentina,- Africa- Marrocos, Asia: Índia e  Vietnã  e Oceania, Austrália, levando músicos e a musica brasileira para o exterior.

 

 

Contando  hoje, ainda que alternada ou esporadicamente, só no Rio de Janeiro, com quarenta e dois dos melhores Museus e Centros Culturais, palácios e bibliotecas, além de lindas igrejas cariocas, sinagogas e clubes, ,totalizando 80 espaços não só no Brasil como no exterior. Nestes 19 anos já registra um publico superior a  700.000 pessoas e uma mídia espontânea de milhares de registros em todos os veículos do Brasil, rádios, TVs, jornais, revistas, internet e até do exterior, com destaques para matérias no New York Times, Le Monde de la Musique, entre outras.

Também a excelência do projeto, que já recebeu inúmeros prêmios e honrarias nacionais (Ordem do Merito Cultural, Golfinho de Ouro, Embaixador do Rio etc)  e internacionais (Cultura Viva da Unesco), Latin American Awards, na PUC em Buenos Aires e agora Lazos Hispanicos- Cultura Viva em Madrid e   gerou a monografia de Marie Hoffman, da  Humboldt-Universität zu Berlin Philosophische Fakultät III Institut für Musikwissenschaft und Medienwissenschaft Musik und Medien/Kulturwissenschaft  sob o titulo Die Rolle der „Klassik“ im öffentlichen Leben in Rio de Janeiro und die Konzertreihe „Música no Museu“ (Musik im Museum) The Role of “Classical Music” in the Public Life of Rio de Janeiro and the Series of Concerts “Música no Museu” (Music at the Museum) (a musica clássica na vida publica do Rio de Janeiro e a   Serie de Concertos Musica no Museu).

 

Paralelamente e no seu âmbito,  realiza um Festival Internacional de Harpas-RioHarpFestival, já na sua 12ª. versão e que colocou o Brasil no circuito mundial da harpa. Tambem  renova  o panorama da musica clássica no Brasil através do Concurso Jovens Músicos-Música no Museu, já na sétima versão e que recebe a cada ano uma bolsa de U$105 mil  da James Madison University-uma escola Steinway- para o vencedor. Também criou  a Orquestra Jovem Musica no Museu e que já começa a ter vida própria.

Ao completar 15 anos em 2012, realizou uma programação especial que incluindo os melhores concertos da Série com destaque para a apresentação do pianista Nelson Freire em São João del Rei.

Em 2013, além da Série normal de concertos, foi feito o lançamento do livro ¨Música no Museu- 15 anos depois¨além da   exposição das pinturas das capas dos seus programas (cada mês feita por um artista plástico brasileiro) e doadas para a Academia Brasileira de Filosofia e que ora faz parte do seu acervo

 

Clique abaixo e veja a nossa apresentação (PDF).

Em concerto especial realizado em 2007 no Palácio São Clemente, Consulado de Portugal no Rio de Janeiro, prestigiado pela presença do Vice Presidente da República, José Alencar então no exercício da Presidência do Brasil, foi empossado o Conselho de Honra do Música no Museu.

 

À época presidido pela Sra. Lily Marinho, os seus membros são os seguintes:

 

  • Embaixadores Alberto da Costa e Silva;
  • Antonio Almeida Lima;
  • Marcos Azambuja;
  • Jornalista Hildegard Angel;
  • Advogado Joao Mauricio Araujo Pinho;
  • Empresários Olavo Setubal Jr.;
  • Eleazar de Carvalho Filho; Jose Pio Borges;
  • Jose Luiz Alqueres;
  • Kiti Almeida Braga;
  • Gilberto Chateaubriand; Eduardo Vianna;
  • Roberto Paulo Cesar de Andrade;
  • Professora Heloísa Lustosa; Sra. (s) Tereza Bulhões de Carvalho;
  • Celia Fortes;
  • Lucy Barreto;
  • Belita Tamoio;
  • Zoé Chagas Freitas;
  • Dea Backeuser;
  • Ministro Joaquim Barbosa
  • Formar novas plateias, facilitando e incentivando a presença de crianças e jovens aos concertos;
  • Incentivar a visita de seus frequentadores aos museus onde acontecem os espetáculos da série, criando programas temáticos que combinam o repertório apresentado aos eventos de artes plásticas em curso na casa programação de compositores franceses para a exposição de Rodin, de espanhóis para Esplendores de Espanha, etc;
  • Manter um evento de difusão cultural que atinja públicos distintos, com boa visibilidade na mídia, e que atraia amantes da música;
  • Oferecer espetáculos de alto nível artístico a custo zero, já que todas as apresentações têm entrada franca;
  • Todas as apresentações da série têm entrada franca.

• Quebrar as barreiras entre eventos de música clássica e de outros gêneros quanto ao interesse do publico em geral e aos locais de apresentações;

• Incentivar jovens músicos, dando-lhes a oportunidade de se apresentar em locais de prestígio, para uma plateia interessada e conhecedora, como é o caso do pianista Pablo Rossi então com 14 anos, ganhador do concurso Nelson Freire de piano já se apresentou com a OSB no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, que abriu a série em Florianópolis , além de Marina Spoladore, também ganhadora do concurso posteriormente e Silvia Theresa entre tantos outros ;

 

Música no Museu, no entanto, não se contentou em permanecer dentro das fronteiras cariocas, iniciando processo de expansão em 1998, sempre com enorme sucesso de público, casas cheias, frequentadores assíduos e apoio da mídia impressa e eletrônica, e já é uma realidade em São Paulo (Museu da Casa Brasileira, desde 07/04/02), Belo Horizonte (Museu Histórico Abílio Barreto, desde 28/06/02), Brasília (Memorial JK, desde 04/09/02), Florianópolis (Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Souza), Curitiba (Museu Oscar Niemeyer), Porto Alegre (MARGS), Tiradentes (Museu Padre Toledo) e Niterói (Solar do Jambeiro).

 

Com a ampliação para Paris, a Série se torna internacional. Também realizou, com o maior êxito, Musique au Musée- Musée de Montmartre- Paris dando um cunho internacional à Série. Em 2006 realizou o I Festival Internacional de Harpas do Rio de Janeiro, também com o maior sucesso repetindo em 2007 na versão II e já maior dimensionado com 33 harpistas de 25 países, sucesso de público e mídia e já agora na sua XII versão depois de sucessos contínuos do III ao XI RioHarpFestival.

 

Em 2006 realizou memorável concerto do pianista Nelson Freire na Matriz de Santo Antonio em Tiradentes comemorando os 9 anos da Série mas antes iniciou a incursão pela área acadêmica ao promover no Conservatório Brasileiro de Música o I Encontro de Empreendedorismo no Meio Musical reunindo o que há de mais expressivo na música brasileira (autores, críticos, entidades, músicos) além de alunos discutindo os novos rumos da música clássica no Brasil.

A partir de 2007 expande-se para o Nordeste: Mosteiro de São Bento e Palácio da Aclamação (Salvador), Biblioteca Epiphaneo Dórea (Aracaju), Museu Histórico de Sergipe (São Cristóvão), Museu da Imagem e do Som (Maceió), Centro Cultural São Francisco (João Pessoa), Museu da Cidade do Recife- Forte 5 Pontas (Recife) e Igreja São Pedro (Olinda). Também amplia-se em Minas Gerais, Ouro Preto ( Igreja Santa Efigênia), Tiradentes (Centro Cultural Yves Alves), São João del Rei (Igreja N.Sa. das Dores (Capela Santa Casa) e Barbacena (Igreja N.Sa. do Rosário) e no interior do Rio de Janeiro: Niterói (Museu do Ingá) , Paraty (Museu de Arte Sacra, Igreja de Santa Rita) , Paulo de Frontin (Fazenda Todos os Santos), Petrópolis (Museu Imperial) , Vassouras (Fazendas São Fernando, Boa Sorte e Santa Eufrásia).

 

Também em 2008, deu-se a ampliação na sua incursão internacional, concertos realizados em Portugal(Lisboa, Santarém, Alcobaça, Aveiro e Porto), além de República Tcheca (Praga) e USA (Nova Iorque e Washington) além da realização do I Concurso Jovens Músicos -Música no Museu cujo vencedor recebeu uma bolsa de U$93 mil da James Madison University, na Virginia (USA) e do III Encontro de Empreendedorismo na Área Musical, na Escola de Música da UFRJ.

 

Para 2009, além desta ampliação, inserem-se, também, museus e igrejas de Salvador, Aracaju, São Cristóvão- a 4a. cidade mais antiga do Brasil, Maceió, João Pessoa, Recife e Olinda, Natal, São Luiz, Belém e Manaus, na versão Música no Museu Norte/Nordeste e prosseguem as vitoriosas iniciativas anteriores.

Também já editou os livros de autoria de seu Diretor, Sergio da Costa e Silva,  Música no Museu - um projeto de sucesso¨ comemorando os 8 anos da série e ¨Música no Museu 15 anos depois¨comemorando os seus 15 anos, além de ter uma já expressiva discografia:

 

  • Música no Museu - Grandes Concertos de Natal- 2004.
  • Música no Museu Concertos de Natal (Orquestra Brasileira de Harpas) 2005.
  • Música no Museu apresenta as mais lindas canções francesas - 2007.
  • Música no Museu apresenta o Quadro Antiquo (Música Antiga) 2007.
  • CD Modinhas - Eliane Salek - 2008
  • Música no Museu apresenta Villa-Lobos in Jazz- 2009
  • Edição de DVD com todos os concertos de 2005, 2006 e 2007
  • Edição de DVD - Música no Museu nas cidades históricas de Minas Gerais- 2009 - Edição de DVD- Musica no Museu Internacional.- 2009.
  • Para 2010 está previsto o livro ¨Música no Museu- 12 anos de sucesso¨;
  • CD Fernanda Canaud – 2010
  • CD Maria Helena de Andrade – 2011
  • CD Licia Lucas na Itália – 2012
  • CD Grandes Orquestras – 2013
  • CD Grandes Orquestras – 2014
  • CD Eles e Elas Cantam Vinícius de Morais: Coral Strattner – 2015
  • CD João Carlos Assis Brasil in Concert - 2016
  • Museu da República - Orquestra Petrobrás ProMusica: 2.000 pessoas; 40º aniversário do Museu da República - Concerto ao ar livre.
  • Museu Nacional de Belas Artes - Orquestra Rio Camerata - concertos de Natal realizados na maior galeria do museu, com 1.000 pessoas em 2001 e 1.000 pessoas em 2002.
  • Estes concertos tornaram-se o Especial de Natal da TVE e exibido no dia de Natal em rede nacional. Museu da Casa Brasileira- SP - Paulo Moura e Clara Sverner - 800 pessoas.
  • Memorial JK (Brasília) - Paulo Moura e Clara Sverner 600 pessoas. Museu da UFRJ (Quinta da Boa Vista) - Quinteto de Metais da OSB- 600 pessoas- concerto comemorativo do Dia das Mães.
  • Museu Histórico Abílio Barreto, Belo Horizonte - Antônio Menezes - 500 pessoas.
  • Museu do Exército (Forte de Copacabana) - Camerata de Violões - 670 pessoas.
  • Museu Oscar Niemayer (Curitiba)- violonista espanhol Pablo Arrieta - 600 pessoas.
  • Casa França-Brasil - pianista Artur Moreira Lima - Abertura dos Concertos de Outono 2005- 1.000 pessoasMuseu Histórico Nacional- pianista Arnaldo Cohen - Abertura dos Concertos de Inverno 2005 - 1.200 pessoas.
  • Theatro Municipal do Rio de Janeiro - Orquestra Sinfônica Brasileira - Concerto comemorativo dos 8 anos de Música no Museu - outubro 2005 - 2.000 pessoas.
  • Central do Brasil - Prédio tombado pelo IPHAN.
  • Concerto de Natal - Banda Sinfônica e Coro da UFF - 4.000 pessoas (dezembro 2005) Igreja de Santo Antônio - Tiradentes-MG - Nelson Freire, piano- 400 pessoas no interior da igreja e cerca de 3.000 pessoas nas ruas de Tiradentes através de telões.
  • Museu da República - Arthur Moreira Lima, piano. Concerto nos jardins - 2.500 pessoas - setembro 2007.
  • Paço Imperial - Yamandú Costa, violão. 600 pessoas - novembro 2007.
  • Centro Cultural Justiça Federal - Leo Gandelman, sax e Maria Teresa Madeira, piano - 600 pessoas - novembro 2007.
  • 400 pessoas - maio de 2009 - Orquestra Brasileira de Harpas - Auditorio do Bndes.
  • Sala Cecília Meireles - Michel Legrand, piano e Catherine Michel, harpa-concerto encerramento do IV RioHarp Festival - 800 pessoas.
  • 600 pessoas - Banda Sinfônica do Corpo de Fuzileiros Navais- agosto 2009 - Teatro Tom Jobim, Jardim Botânico.
  • 2015 – Concerto OSB comemorando os 15 anos de Música no Museu.
  • Theatro Municipal do Rio de Janeiro – 2.000 pessoas.
  • Concerto do pianista Nelson Freire – Teatro Municipal de São João Del Rei – 500 pessoas.

Todos os direitos reservados - 2016.